Publicidade


Tadeu afirma que só ação judicial para obrigar governo Bolsonaro a contratar projetos aprovados no setor de audiovisual

7 maio 2020|Postado em:Política


Publicidade



 

 

O deputado Tadeu Alencar, vice-líder da Oposição na Câmara, afirmou que só uma ação judicial para obrigar o governo federal a liberar recursos do Fundo Setorial do Audiovisual – FSA, para o financiamento de projetos no setor, onde tudo se encontra estagnado. No momento, o Fundo conta com mais de 800 projetos aprovados e que não foram contratados. A medida judicial em avaliação poderá, segundo o parlamentar, ser interposta pelo PSB, com apoio de outros partidos e de entidades do setor. Para Tadeu, o diálogo com o governo sobre cultura já se mostrou infrutífero, restando o caminho da Justiça, até porque é a lei de financiamento do setor que vem sendo desobedecida, ainda mais como instrumento de luta política.

“Acho que nenhum personagem desse governo, seja Onyx Lorenzoni (ministro da Cidadania e Presidente do Comitê Gestor do Fundo), seja Regina Duarte (secretária nacional de Cultura), ninguém vai resolver algo que é decisão direta do presidente da República, que sabe que um dos pontos de resistência ao seu governo são os artistas, que são, por assim dizer, uma espécie de antena da sociedade. Penso que não é uma articulação política ou gestões burocráticas que vão destravar. É um garroteamento calculado, para levar à inanição o cinema e a cultura brasileiros. Vivemos o império do medo e Bolsonaro explora esse medo. Fiquemos certos: não vamos sensibilizar nenhuma área do seu governo”, afirmou o deputado, que é presidente da Frente Parlamentar Mista Em Defesa do Cinema e do Audiovisual.

Publicidade


A iniciativa foi lançada durante videoconferência, nesta quinta-feira (07), que reuniu, além de Tadeu, a deputada da Bahia Lídice da Mata, também do PSB, o deputado Marcelo Calero (CIDADANIA-RJ), presidente da Frente Parlamentar da Economia Criativa e ex-Ministro da Cultura, e vários representantes do setor de cinema e audiovisual. A medida foi abraçada tanto pelos parlamentares quanto pelos líderes do setor presentes ao debate.

Segundo Tadeu Alencar, juntamente com a ação judicial, os parlamentares que apoiam a luta pela cultura, particularmente, pelo audiovisual, devem conversar, de imediato, com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) para incluir na pauta do Câmara matérias que já tramitam da Casa e que são de interesse do setor, onde esse assunto deverá ser pautado.

“Vamos fazer uma reunião no curto prazo, com as duas Frentes, com a participação de deputados que são ligados a essa temática, a fim de trazermos para esta luta o presidente da Câmara, o deputado Rodrigo Maia, que é sensível a essa questão. Participamos de  reunião, no último sábado (02), do Fórum Nacional de Secretários de Cultura dos Estados. Estamos na iminência de votar diversos projetos importantes, como a adoção da renda básica para os trabalhadores da Cultura, o que vai também alcançar o audiovisual; o auxílio de R$ 10 mil reais para que estabelecimentos do setor sobrevivam; tem idéias de suspensão de pagamentos de tributos, embora preservando a Condecine, projeto que levei para a Câmara espelhando um projeto do senador Humberto Costa (PT-PE). Precisamos acelerar a votação desses projetos, pois o setor está sendo sufocado. Pelo tempo que essas coisas acontecem e pela sua extensão, as consequências são dramáticas”. finalizou Tadeu Alencar.

 

Assessoria de Imprensa

Publicidade

Deixar uma resposta


You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*