nov 11

11 novembro 2021

Empresarial integrado a shopping é lançado em Serra Talhada

 

Foto do blog Folha de Pernambuco

Novo empreendimento recebe recursos de R$ 20 milhões e leva inovação para Serra Talhada

Serra Talhada, segundo maior município do Sertão de Pernambuco e o quarto do Estado, segue atraindo novos investimentos, se tornando um hub de negócios e colocando a cidade como polo de desenvolvimento na região. Nesta quarta-feira (10), foi lançado o JD Trade Center, um moderno empresarial que segue padrões internacionais de construção.

O empreendimento tem mais de 4 mil metros quadrados e se destaca por ser totalmente integrado ao Shopping Serra Talhada, em funcionamento e já com 70 lojas em operação.

O empresarial terá seis pavimentos comerciais com 72 salas, e mais dois residenciais, 28 flats, além de um grande rooftop com vista para a serra.

O prédio foi projetado de forma que vai gerar toda energia das áreas comuns por uma usina solar. Equipamentos inteligentes, como sensores de presença, entrada via digitais, iluminação 100% led e o emprego de materiais sustentáveis, fazem parte da concepção do negócio.

O projeto, assinado pela Amaral Tenório + Arquitetos, foi totalmente pensado para a região, considerando, por exemplo, a alta incidência solar do sertão. A fachada é protegida por brises e utilizará revestimentos que absorvem menos calor. “Por estar em cima da estrutura do Shopping, os andares terão ainda mais altura, gerando vistas nunca antes exploradas da região”, explica o arquiteto Rafael Amaral Tenório.

O projeto é uma parceria entre três empresas locais: a JDS, do Grupo João Duque; a Madeira de Lei Desenvolvimento Imobiliário e a MMEC Engenharia e Construções, em um investimento superior a R$ 20 milhões. O empreendimento irá gerar cerca de 150 empregos diretos e pelo menos 300 indiretos.


Publicidade



 

Obras

O lançamento para empresários da região acontece em evento no Shopping Serra Talhada. A previsão é de que as obras comecem  no início de 2022 e já em 2024 estejam totalmente concluídas.

Serra Talhada está localizada em uma região-polo com uma área de influência de quase 200 quilômetros, tendo no entorno 40 municípios, englobando uma população de mais de 1 milhão de pessoas.

Com isso, despertou a atenção de empreendedores regionais. Este ano foi anunciada, com a participação da JDS e a Madeira de Lei, a construção de um hotel com a bandeira Ibis, da rede internacional Accor, que começa a operar já em 2024, um investimento de R$ 20 milhões que promete atrair novos negócios.

“Nosso papel é fomentar, não apenas o crescimento econômico, mas também a geração de emprego, renda e bem estar social do nosso Sertão. Muito me orgulha fazer parte dessa construção e contribuir na conexão de pessoas e negócios, transformando Serra Talhada em uma cidade âncora”, diz o empreendedor, Murilo Duque, CEO da JDS.

 

O investimento

O JD Trade Center é um projeto que mira no futuro, mas que entende que ele precisa ser construído agora, ressalta o arquiteto Rafael Amaral, que também é empreendedor, como sócio da Madeira de Lei MI, destacando que o empresarial “é um marco para região e possibilitará a total conexão entre os equipamentos que fazem parte do HUB local: Shopping, hotel Ibis, aeroporto, Senac, Uninassau, Selfit, Assaí e outros”.

A parceria que une as empresas tem como prioridade investimentos no interior do estado. O Grupo João Duque atua há 75 anos no Sertão; a MMEC construiu uma trajetória de projetos na região e a Madeira de Lei Desenvolvimento Imobiliário é uma startup imobiliária com foco nas necessidades das cidades, associando as novas  tecnologias, soluções e oportunidades aos princípios de “gentileza urbana”, cidades verdes, caminháveis e integradas, bem como a valorização do edifício misto e que agregue ao seu entorno.

“O Sertão é uma região de muitas potencialidades e nosso trabalho é para contribuir com a dinamização da economia a partir de investimentos que geram emprego e renda para muitos”, diz Amaral Tenório.

Ele pontua a vocação da cidade para negócios, tendo o empresarial como excelente espaço para clínicas e escritórios, por exemplo, oferecendo segurança e conforto, além de facilidade da conexão com o shopping.

 

Fonte: Folha de Pernambuco


Postado em Sertão | Por

nov 11

11 novembro 2021

“São habilidosos, mas não fazem milagres”, diz Patriota sobre trabalho de prefeitos durante mobilização municipalista na capital federal

 

Divulgação

O presidente da Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe), José Patriota, ao lado de prefeitos e prefeitas de Pernambuco participaram, em Brasília, nestes dias 09 e 10 de novembro, da Mobilização Municipalista, promovida pela Confederação Nacional de Municípios (CNM), que visa garantir a aprovação de matérias prioritárias para os Municípios.

Na manhã da terça-feira (09/11), os gestores participaram de reunião do Conselho Político da CNM, para definição da pauta prioritária. Pela tarde, no auditório Nereu Ramos, na Câmara Federal, foi apresentada a pauta prioritária aos deputados presentes, dentre elas a PL 3339/2021, que trata da Regulamentação do Fundeb, e a PEC 23/2021, que dispõe sobre o parcelamento previdenciário. Logo após, seguiram em marcha pelos corredores da Câmara dos Deputados.

Hoje (10/11), a pauta municipalista reuniu mais parlamentares. Os prefeitos e prefeitas reivindicaram preocupação em duas principais pautas: o PL 2337/2021, sobre a Reforma do Imposto de Renda, e o PLP 11/2020, que estabelece que a incidência do ICMS sobre combustíveis será sobre o valor médio dos últimos 2 anos, o que traz grande impacto negativo sobre a arrecadação dos municípios, já muito desigual, segundo a Associação Municipalista de Pernambuco.

O presidente da Amupe, José Patriota, afirmou que os prefeitos e prefeitas estão à favor do desenvolvimento. “Nossos gestores cansaram de receber obrigações sem ter a responsabilidade, a condição de fazer. São habilidosos, mas não fazem milagres. Não há como fazer dinheiro falso para pagar conta, que nunca vai fechar. Não se pode criar mais despesa sem saber de onde virá o dinheiro”, disse Patriota.

José Patriota também falou sobre as conquistas e desvantagens que os municípios enfrentam quase diariamente. “A gente precisa de conquistas permanentes, de políticas públicas permanentes. O que vemos hoje é os municípios perdendo de um lado e ganhando do outro”, concluiu.

 

ASCOM Amupe

Postado em Notícias | Por

nov 11

11 novembro 2021

Luciana Santos sanciona lei que institui o Programa Chapéu de Palha Eventual Emergencial

 

Benefício será pago a trabalhadores da cana de açúcar e da pesca artesanal afetados pela pandemia e que não tiveram chances de se cadastrar

A governadora em exercício Luciana Santos sancionou, nesta quarta-feira (10.11), a lei que institui o Programa Chapéu de Palha Eventual Emergencial 2021. Os recursos liberados são da ordem de R$ 1,8 milhão. Com isso, 3.934 trabalhadores da cana de açúcar e 83 da pesca artesanal afetados pela pandemia da Covid-19, que ainda não fazem parte do programa, serão beneficiados.

O benefício, no valor de R$ 271,10 por pessoa, começará a ser pago no dia 30 de novembro, com duração de quatro meses. “A sanção tem um significado, porque atende uma das pontas mais carentes dos trabalhadores do nosso Estado. O Chapéu de Palha existe desde os tempos do então governador Miguel Arraes, exatamente porque tem o ciclo do corte da cana, a sazonalidade. Então, é um conceito de cuidado, de assistência e de proteção”, ressaltou Luciana Santos.

O valor repassado poderá ser utilizado na compra de alimentos e produtos de higiene e limpeza em estabelecimentos credenciados de 58 municípios pernambucanos. Caso a família cadastrada seja beneficiária do Programa Bolsa Família, o Estado arcará com o pagamento da bolsa em valor complementar e variável, de modo que não se possa receber dos dois programas quantia superior a R$ 271,10.

Estiveram presentes à solenidade de sanção da lei o secretário executivo de Assistência Social, Joelson Rodrigues; a gerente geral de Articulação Institucional do Programa Chapéu de Palha, Maria de Oliveira; o presidente da Federação dos Trabalhadores Rurais e Agricultores Familiares de Pernambuco (Fetaepe), Gilvan Antunes; o deputado estadual e presidente da Comissão de Agricultura Pecuária e Política Rural da Alepe, Doriel Barros; além de representantes da Fetape e Fetraf.

 

Foto: Diego Galba/VG

ASCOM


Postado em Notícias | Por

nov 10

10 novembro 2021

Prefeitura de Arcoverde alerta sobre golpe aplicado para recolher tributos da população

 

Prefeitura de Arcoverde — Foto: Robson Lima/Divulgação

Estelionatários estão se passando por servidores fiscais da DIRT e outros órgãos e visitando estabelecimentos comerciais e cobrando determinadas quantias para suposta regularização.

A Prefeitura de Arcoverde, por meio da Diretoria de Rendas e Tributos (DIRT) e da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SEDET), está reforçando aos prestadores de serviço, empresários e toda população que está sendo aplicado um golpe no município.

Segundo a gestão municipal, estelionatários estão se passando por servidores fiscais da DIRT e outros órgãos e visitando estabelecimentos comerciais e cobrando determinadas quantias para suposta regularização. A Prefeitura reforça que os servidores municipais não recebem nenhum tipo de pagamento em dinheiro, inclusive através de PIX, depósito e/ou transferência em conta bancária. Todo e qualquer pagamento de tributos municipais ocorre por meio de Documento de Arrecadação Municipal (DAM) emitido exclusivamente pela DIRT.

A Prefeitura de Arcoverde orienta ainda que, todos que tenham sofrido essa tentativa de golpe procurarem a Delegacia de Polícia Civil para o devido registro de Boletim de Ocorrência.

Fonte: G1


Postado em Sertão | Por

nov 10

10 novembro 2021

Pernambucanos estão dispostos a gastar na Black Friday, diz Fecomércio

 

Foto: Wilton Marcelino/Divulgação

Segundo a ‘Sondagem de Opinião do Black Friday 2021’ da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Pernambuco (Fecomércio-PE), o otimismo paira sobre as expectativas de vendas para o mês de novembro. A maioria dos pernambucanos está disposta a comprar na Black Friday, com gasto médio de R$ 1.377. O levantamento foi realizado entre os dias 6 e 15 de outubro, envolvendo 788 consumidores e 721 estabelecimentos, nos principais pontos de fluxo do comércio da Região Metropolitana do Recife, Agreste e Sertão.

“O objetivo da pesquisa é prover informações relevantes às empresas do comércio varejista e dos serviços de alimentação em Pernambuco a respeito do perfil de consumo e das expectativas referentes a este período de aquecimento das vendas”, explica o assessor econômico da Fecomércio-PE, Ademilson Saraiva.

A lista de itens a serem procurados na Black Friday é bastante diversificada. Destacam-se na opinião dos consumidores os produtos de uso pessoal – como as roupas e acessórios (38,1%), calçados (17,6%), smartphones e tablets (16,6%) e perfumes e cosméticos (13,7%) – e os de uso familiar – como os eletrodomésticos (23,5%), equipamentos de áudio e vídeo (10,9%) e móveis (10,0%).

A principal motivação apontada, entre os que pretendem participar, é a aquisição de algum produto ou serviço que almejam há muito tempo (53,8%) e irão aproveitar o período de descontos e preços mais baixos para satisfazer esse desejo. A antecipação de compras para o Natal e Réveillon é outro objetivo relevante para que os consumidores saiam às compras. As compras pela internet devem atrair 59,5% dos consumidores e o comércio tradicional ficar com 44,9% dos pernambucanos.

“A tendência da busca pelo comércio eletrônico explica, em parte, o alto percentual de consumidores que pretendem utilizar o cartão de crédito como forma de pagamento neste ano, uma vez que o cartão de crédito é o meio de pagamento mais comum nas compras on-line”, diz o assessor econômico da Fecomércio-PE.

Indisponibilidade financeira

 

Entre os consumidores que não pretendem participar das compras em 2021, 45,0% declaram estar ‘sem dinheiro ou com pouco dinheiro’ disponível para aproveitar os descontos no comércio. Além desses fatores, os consumidores também relatam outras questões relacionadas à conjuntura socioeconômica como relevantes para a decisão de não participar: 12,2% declaram estar inseguros quanto às perspectivas sobre a economia brasileira; 11,9% se justificam por estarem endividados; e 8,5% relatam o fato de estarem desempregados.

Expectativa de vendas

 

A expectativa por vendas maiores é compartilhada por 72,9% dos estabelecimentos do comércio tradicional. Nos shopping centers, 86,8% dos estabelecimentos têm expectativa de crescimento. A estimativa de variação das vendas para a Black Friday de 2021 é de 14,7% entre os estabelecimentos do comércio tradicional e 15,7% entre os estabelecimentos dos shoppings centers.

Entre os estabelecimentos que se encontram otimistas sobre as vendas este ano, destaca-se como motivação a melhoria no movimento do comércio em função da vacinação (83,6%), bem como na confiança dos consumidores (49,8%) e a recuperação gradual do mercado de trabalho (32,8%). Por outro lado, entre os estabelecimentos que apontaram expectativas pessimistas, ressaltam a persistência de baixo movimento no comércio (51,2%) e o endividamento dos consumidores (40,3%).

Contratação temporária

 

A pesquisa ainda revela que 17,5% das empresas do varejo pretendem contratar colaboradores temporários para dar suporte às vendas da Black Friday de 2021. Nos serviços de alimentação, esse percentual cai para 15%. Nos shoppings, a intenção de contratar temporários ocorre entre 22,1% dos lojistas do varejo e entre 18,4% dos estabelecimentos de alimentação.

 

Fonte: Diario de Pernambuco


Postado em Notícias | Por