dez 29

29 dezembro 2021

Prefeito Sandrinho celebra novos empregos que chegam a Afogados da Ingazeira

 

Prefeito Sandrinho celebra novos empregos que chegam a Afogados da Ingazeira

Gerente regional das Casas Bahia, Talita Aversanie  o Prefeito Alessandro Palmeira-Foto: Assessoria

Loja das Casas Bahia foi inaugurada nesta terça (28)

O Prefeito de Afogados da Ingazeira, Alessandro Palmeira, esteve presente à inauguração de mais uma gigante do varejo que aposta em Afogados. Depois das lojas Americanas e do Magazine Luiza, chegou a vez das Casas Bahia inaugurarem loja em Afogados.


Publicidade



Ao lado da gerente regional das Casas Bahia, Talita Aversani, o Prefeito felicitou os funcionários e destacou a pujança da cidade na atração, cada vez mais, de novos investimentos, gerando empregos e oportunidades para a população.

Tudo isso é fruto de uma cidade acolhedora, de um povo trabalhador, de sucessivas gestões que prepararam a infraestrutura necessária para esse boom de investimentos que vivenciamos hoje.

O Prefeito Sandrinho Palmeira, destacou ainda importantes investimentos como a inauguração de uma nova unidade da farmácia dos municípios, da rede nacional de farmácias Pague Menos, e a perspectiva da chegada do novo Atacarejo e de uma loja da rede Óticas Diniz.

É Afogados sempre crescendo, seguindo em frente, gerando empregos e oportunidades para seus filhos e filhas

Finalizou Sandrinho.

 

Colaboração-Assessoria de Imprensa

Rodrigo Lima


Postado em Afogados da Ingazeira, Sertão | Por

dez 28

28 dezembro 2021

Governador demite perito criminal que atuou no Caso Beatriz e se posiciona favorável à federalizacão da investigação

Diego Costa prestou consultoria de segurança para o Colégio Nossa Senhora Auxiliadora após o assassinato e, posteriormente, participou da investigação

O governador Paulo Câmara demitiu o perito criminal Diego Costa que prestou consultoria de segurança ao Colégio Nossa Senhora Auxiliadora após o assassinato da menina Beatriz, há seis anos, em Petrolina, no Sertão do Estado. O perito era sócio de uma empresa de segurança que foi contratada pela escola e, posteriormente, participou da investigação do caso. A informação foi dada por Paulo Câmara ao receber os pais de Beatriz no Palácio do Campo das Princesas, nesta terça-feira. A exoneração será publicada no Diário Oficial do Estado de amanhã (29/12).

Paulo Câmara recebeu os pais de Beatriz, que vieram em caminhada de Petrolina ao Recife, ao lado da vice-governadora Luciana Santos, do secretário de Defesa Social, Humberto Freire, do secretário da Casa Civil, José Neto, do Chefe de Polícia Civil, Nehemias Falcão, e da procuradora-geral do Estado em exercício, Giovana Gomes. O governador assegurou aos pais da menina que é favorável à federalizacão da investigação.

“Estamos totalmente solidários ao sofrimento da família e somos favoráveis à federalizacão do caso. Vamos prestar toda a colaboração necessária, ciente que cabe à Procuradoria-Geral da República ou ao Ministério da Justiça avaliar se estão presentes os requisitos legais  para a referida federalização”, disse o governador.

O inquérito do caso tem 24 volumes, 442 depoimentos, sete tipos diferentes de perícias, 900 horas de imagens e 15 mil chamadas telefônicas analisadas e foi remetido ao Ministério Público de Pernambuco, no dia 13 de dezembro de 2021.

Os autos já haviam sido enviados em 2019, ao Ministério Público de Pernambuco, que requisitou novas diligências. Todas as solicitações foram cumpridas e entregues ao MPPE pela Força-Tarefa criada pela Chefia de Polícia para investigar o caso.

Os quatro delegados, com vasta experiência em investigações relativas a crimes de homicídios, revisitaram todo o material que já havia sido produzido e realizaram novas diligências. Por determinação do governador, a Força-Tarefa continua mobilizada.

Sobre o pedido de acesso aos conteúdos da investigação por parte de uma empresa privada americana, sem qualquer vínculo com o Governo dos EUA ou suas representações diplomáticas no Brasil, a Secretaria de Defesa Social esclareceu que esse tipo de cooperação não encontra respaldo na legislação brasileira.

Fotos: Heudes Regis/SEI

 

ASCOM


Postado em RECIFE | Por

dez 28

28 dezembro 2021

Prefeito Sandrinho Palmeira entregou certificados de qualificação para 150 Afogadenses

 

Prefeito Sandrinho Palmeira entregou certificados de qualificação para 150 Afogadenses

Foto: Assessoria

A Prefeitura de Afogados da Ingazeira entregou na noite desta Segunda (27) certificados de qualificação profissional aos alunos de sete cursos, em vários segmentos, promovidos pela Prefeitura.

Os cursos foram realizados através de parcerias firmadas entre a Secretaria de Administração e Desenvolvimento Econômico com o SEBRAE, SENAC, SENAI e SETEQ.

A entrega dos certificados aconteceu no salão da AABB, com as presenças do Prefeito Alessandro Palmeira, do seu vice, Daniel Valadares,

Ao todo cento e cinquenta profissionais foram beneficiados com os cursos de Energia Solar e Sistemas Fotovoltaicos, Introdução à Refrigeração e Climatização, Eletricidade de Motocicleta, Design de Sobrancelhas e Maquiagem Básica, este último formando duas turmas.

“Esse é um momento de alegria com a conclusão de sete cursos em apenas seis meses. Já estamos finalizando o planejamento para os novos cursos que iremos ofertar já a partir do próximo dia dez de janeiro,” destacou em sua fala o Secretário de Administração e Desenvolvimento Econômico, Ney Quidute.

Estiveram participando da entrega dos certificados o vice prefeito Daniel Valadares e os vereadores César Tenório, Douglas Eletricista, Sgt Argemiro e Gal Mariano. As entregas aconteceram no salão da AABB.

“Estou muito feliz com esse momento que vivenciamos nesta noite. Muito feliz com a realização dos cursos que estão sendo feitos e também pelo empenho de todos que participaram. A capacitação que estamos oferecendo é fundamental para disputar uma vaga nesse tão concorrido mercado de trabalho. Sem contar que muitos desses cursos oferecem a possibilidade de abertura do próprio negócio,” avaliou o Prefeito Alessandro Palmeira.

 

Colaboração-Assessoria de Imprensa

Rodrigo Lima


Postado em Afogados da Ingazeira, Sertão | Por

dez 28

28 dezembro 2021

Paulo Câmara firma convênios e anuncia ações de infraestrutura e desenvolvimento urbano em municípios pernambucanos

 

Paulo Câmara firma convênios e anuncia ações de infraestrutura e desenvolvimento urbano em municípios pernambucanos

Fotos: Aluísio Moreira/SEI

Governador esteve reunido com prefeitos na manhã desta terça-feira (28.12) para definir as obras no âmbito do Plano Retomada

O governador Paulo Câmara esteve reunido, na manhã desta terça-feira (28.12), com prefeitos de municípios pernambucanos para anunciar ações de infraestrutura hídrica e viária e desenvolvimento urbano, previstas no Plano Retomada. Para Jupi (Agreste Meridional), Itapetim (Sertão do Pajeú), Ribeirão (Mata Sul), Sertânia (Sertão do Moxotó), Ipubi (Sertão do Araripe), Lagoa do Carro (Mata Norte) e Brejão (Agreste Meridional), o governador autorizou investimentos para a área de infraestrutura.

“Tivemos a satisfação de receber prefeitos e prefeitas para formalização de convênios para ações de infraestrutura e desenvolvimento urbano para melhoria da qualidade de vida do cidadão. São ações importantes, mais de 30 milhões de reais liberados, que vão fazer o avanço do Plano Retomada”, frisou o governador.

Para Jupi, o governador autorizou obras de pavimentação em paralelepípedo para ruas da cidade. A iniciativa conta com investimento total de R$ 2,5 milhões, sendo parte oriunda do Governo do Estado com a contrapartida municipal.

Em Ribeirão, será investido R$ 1,6 milhão para a execução de obras de construção de estruturas de contenção do tipo muro de arrimo em pedra argamassada em diversas localidades do município. Já Itapetim será contemplada com pavimentação e sinalização do acesso ao povoado de Piedade, com recursos de aproximadamente R$ 702 mil.

Nos municípios de Sertânia e Ipubi, diversas vias serão recuperadas com asfalto. Os investimentos chegam a R$ 1,9 milhão e R$ 4 milhões, respectivamente. Brejão receberá melhorias na área de infraestrutura hídrica com a ampliação do Sistema Produtor da cidade a partir da Barragem de Cajueiro. O investimento é da ordem de R$ 13 milhões. Já em Lagoa do Carro, foi destinado R$ 1,7 milhão para pavimentação de ruas que fazem parte do percurso da procissão de Nossa Senhora da Soledade, padroeira do município.

Além dos sete municípios, o governador também liberou cerca de R$ 5,5 milhões para Petrolândia (Sertão de Itaparica), Bom Conselho (Agreste Meridional), Agrestina (Agreste Central) e Chã Grande (Mata Sul) para serviços de pavimentação, também dentro do Plano Retomada. Em Petrolândia, Agrestina e Bom Conselho, o aporte será feito por meio de licitação. A abertura das propostas de empresas interessadas na concorrência deve ocorrer ao longo do mês de janeiro e a previsão é de que os trabalhos sejam iniciados ainda no primeiro semestre de 2022. Chã Grande receberá os recursos por meio de convênio com a Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação.

Em Petrolândia e Chã Grande, as prefeituras definirão quais ruas serão pavimentadas. Bom Conselho realizará os serviços em vias projetadas. Já em Agrestina, a pavimentação ocorrerá nas margens da BR-104, trechos 01 e 04 da Rua Sebastião Tavares e trechos 02, 03 e 05 da Rua 11 de setembro.

Além dos prefeitos das cidades beneficiadas, estiveram presentes os secretários estaduais Tomé Franca (Desenvolvimento Urbano e Habitação), Fernandha Batista (Infraestrutura e Recursos Hídricos) e Rodrigo Novaes (Turismo e Lazer); o deputado federal Danilo Cabral; o presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), Eriberto Medeiros; e os deputados estaduais Aglailson Victor, Aluísio Lessa, Diogo Moraes, João Paulo Costa, Simone Santana e Guilherme Uchoa Júnior.

 

Colaboração-ASCOM do Governo de Pernambuco


Postado em Notícias | Por

dez 28

28 dezembro 2021

Pais de menina morta com 42 facadas em escola caminham mais de 700 quilômetros para pedir justiça: ‘não toleramos mais impunidade’, diz mãe

Os pais da garota Beatriz Angélica Mota, assassinada com 42 facadas, em uma escola particular de Petrolina no Sertão de Pernambuco, em 2015, encerraram, nesta terça (28), uma caminhada de mais de 700 quilômetros para pedir justiça. Eles chegaram ao Recife para realizar uma séria de cobranças ao governo. “Não toleramos mais impunidade”, afirmou a mãe de Beatriz, Lúcia Mota (veja vídeo).

Beatriz Angélica tinha 7 anos de idade quando foi morta, em 10 de dezembro de 2015. Desde então, a polícia fez várias investigações, mas não chegou a uma conclusão que permitisse a prisão de um suspeito.

A caminhada começou no dia 5 de dezembro, em Petrolina, distante 712 quilômetros do Recife. Lúcia e o pai da menina, Sandro Romilton, cruzaram todo o estado para pedir providências ao governador Paulo Câmara (PSB).

“São seis anos esperando, aguardando as promessas que não foram cumpridas. Por isso, nós caminhamos. Caminhamos por amor a Beatriz, caminhamos para que o governador se sensibilize como filho, como pai, como esposo, e que atenda nosso pedido que é tão simples e é uma obrigação do estado”, afirmou Lúcia Mota.

 

A programação da família é chegar até a Praça do Derby, na área central da cidade, seguir em direção à Procuradoria Geral da República (PGR), no bairro do Espinheiro, na Zona Norte.

Depois, a família deve ir ainda à sede do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), no bairro de Santo Amaro, no Centro do Recife.

Por fim, a meta é chegar ao Palácio do Campo das Princesas, sede do governo do estado, na mesma área da cidade. No local, eles esperam ser recebidos pelo governador. A TV Globo entrou em contato com o governo, para saber se o encontro deve acontecer, mas não obteve retorno até a última atualização desta reportagem.

Queixas

 

Em seis anos, a investigação passou pelas mãos de oito delegados, tem 24 volumes de inquérito, centenas de horas de gravações de imagens e mais de 400 pessoas ouvidas. A família afirma que houve sabotagem dentro da própria Polícia Civil durante os trabalhos.

“A falha, na verdade, são as sabotagens que a própria polícia [fez], que o perito chefe de departamento de perícia do estado de Pernambuco fez. Uma semana depois do crime, ele estava trabalhando para o colégio [de forma particular]. Ele é um funcionário público. Primeiro, ele não deveria estar ali, mas segundo ele participou de sabotagem das perícias”, declarou a mãe.

 

No dia 20 de dezembro deste ano, a Corregedoria Geral da Secretaria de Defesa Social (SDS) demitiu o perito criminal Diego Henrique Leonel de Oliveira Costa, que atuou no caso e prestou consultoria de segurança, através de uma empresa da qual é sócio, ao colégio Nossa Senhora Auxiliadora, local onde Beatriz foi assassinada (veja vídeo).

Ele vendeu um plano de segurança para a escola. Para a família de Beatriz, o fato de um dos investigadores ter relação comercial com o estabelecimento que foi local do crime é “imoral”.

“Foram perícias inconclusas, pericias com dois resultados e não se chegou a quem articulou, quem planejou. Tudo aquilo foi planejado com antecedência, a gente sabe disso. O colégio Auxiliadora era uma escola muito difícil de entrar, para ter acesso até as salas tinha que ser alguém que conhecesse, então foi planejado, a gente não tem dúvida em relação a isso”, disse Lúcia.

De acordo com o pai de Beatriz, a família tem atuado com um trabalho de investigação particular. A luta agora é pela federalização do caso, ou seja, para que a investigação saia das mãos da polícia local e possa ser acompanhada pela Procuradoria-Geral da República (PGR).

“Tudo que se sabe hoje sobre o caso de Beatriz, o que a imprensa divulga, vem justamente desse trabalho da nossa família. Somos nós que temos uma investigação paralela, somos nós que divulgamos os eventos que acontecem. A Polícia Civil se resume simplesmente a dizer em notas que estão empenhados e o inquérito segue sob sigilo”, declarou Sandro.

Outro pedido feito pela família durante a caminhada é a inclusão de peritos particulares americanos, especializados em casos como o de Beatriz.

Eles pedem pela assinatura de um termo de cooperação técnica com uma empresa americana para que essa entidade tenha acesso integral aos autos do processo.

“Não é algo diferente nem novo, na verdade a própria Polícia Civil realizou um trabalho com uma empresa particular que foi financiada pelo colégio. Então nós não estamos pedindo nada demais. O secretário diz que a legislação não permite, mas que legislação é essa, porque ele não apresentou, e tem precedente dentro do próprio inquérito”, afirmou Lúcia.

Apoio

Mais oito pessoas acompanharam os pais de Beatriz durante a caminhada entre Petrolina e o Recife. Sem contar com o apoio que eles disseram ter recebido ao longo da viagem.

“Nós vínhamos preparados para dormir em barracas, nós tínhamos tudo, mas [houve] a solidariedade das pessoas, de muitas prefeituras também ao longo do percurso. Nos ofereceram uma estadia mais confortável. Médicos, fisioterapeutas, a sociedade civil no todo nos apoiaram, nos abraçaram, em nenhum momento nos faltou absolutamente nada”, declarou Lúcia.

Quando já estavam na Região Metropolitana do Recife, a mãe do menino Miguel, Mirtes Renata, se juntou ao grupo.

Miguel morreu após cair do 9° andar de um prédio de luxo na área central do Recife, após a mãe, empregada doméstica, ter deixado o filho sob os cuidados da patroa para passear com o cachorro da família.

“Eu sou mãe, eu sinto a dor que ela está sentindo hoje, e estou aqui dando o apoio, o apoio que ela também me deu quando aconteceu o caso de Miguel. Estou retribuindo aqui nesse momento quando ela chegar em Recife e que o pedido dela seja cumprido. Pedimos justiça pelos nossos filhos. Uma mãe por um filho ela move céus e terras e isso é mover céus e terras por um filho. Todo esse sacrifício não vai ser em vão”, afirmou Mirtes.

Resposta

 

Por meio de nota, a Associação de Polícia Científica se pronunciou sobre o caso e afirmou que “considerando as graves acusações que vêm sendo recorrentemente feitas por membros da família da vítima, tanto contra Peritos Criminais quanto, de modo geral, contra integrantes da Polícia Civil de Pernambuco, […] está atenta a todos os desdobramentos do caso, para adotar todas as providências voltadas para a defesa dos interesses do Perito Criminal Diego e de toda categoria”.

De acordo com o órgão, “o trabalho realizado pela Polícia Científica contribui para a produção da prova técnica, auxiliando, de modo relevante, a investigação policial”.

Ainda no texto, eles afirmaram que seguem “na defesa incansável dos interesses dos Peritos Criminais que estejam sendo vítimas de decisões administrativas desarrazoadas e desproporcionais”. Por fim, a associação afirmou que “também não permitirá que seja maculada a reputação de profissionais responsáveis e probos”.

Entenda o caso

Pais de menina morta com 42 facadas em escola caminham mais de 700 quilômetros para pedir justiça: ‘não toleramos mais impunidade’, diz mãe

Beatriz Angélica Mota foi assassinada em 2015, em Petrolina, no Sertão — Foto: Arquivo pessoal / Família

Beatriz Angélica foi assassinada a facadas dentro da escola onde estudava, durante uma solenidade de formatura que aconteceu na noite do dia 10 de dezembro de 2015. O pai dela era professor de inglês da instituição.

A última imagem que a polícia tem de Beatriz foi registrada às 21h59 do dia 10 de dezembro de 2015, quando ela se afasta da mãe e vai até o bebedouro do colégio, localizado na parte inferior da quadra.

Ela foi encontrada já morta, com 42 marcas de facadas em um depósito de material esportivo desativado, ao lado da quadra de esportes onde acontecia a formatura.

Ela tinha ferimentos no tórax, membros superiores e inferiores. A faca usada no crime, de tipo peixeira, foi encontrada cravada na região do abdômen da criança.

Fonte: g1 PE


Postado em Notícias, Sertão | Por