Publicidade


dez 23

23 dezembro 2014

Prioridade de Paulo Câmara será a conclusão de Escolas Técnicas e Upas inacabadas


Publicidade



paulo-camara2-2

Já que uma das prioridades do governador eleito, Paulo Câmara (PSB), é concluir as obras iniciadas na gestão Eduardo Campos, os futuros secretários já sabem por onde começar: as 40 escolas técnicas e 16 Upas Especialidades que estão inacabadas. O atual governo as paralisou por falta de recursos e também para atender às exigências da Lei de Responsabilidade Fiscal.

 

Do Blog de Inaldo Sampaio 


Postado em Política | Por

dez 23

23 dezembro 2014

Em Tabira vereador Sebastião Ribeiro deseja unir oposição para enfrentar palanque do prefeito

sebastiao_ribeiro

Anunciando que o seu propósito é mudar a história de Tabira, o vereador Sebastião Ribeiro(PSB), detentor de 6 mandatos, confirmou ontem a sua intenção de disputar a prefeitura do município. A decisão foi tirada da reunião do GI-Grupo Independente realizada no domingo.

Sebastião disse ser um soldado do grupo e vai a luta. Falando a Rádio Cidade FM, Ribeiro disse que vai conversar com toda oposição, inclusive citando do ex-prefeito Dinca até a vice Genedy, para fortalecer o seu nome e não quis escolher candidato para enfrentar, se o prefeito Sebastião Dias(reeleição), ou outro nome do grupo.

Publicidade


Disse respeitar a posição do ex-prefeito Dinca Brandino que criticou a posição do GI que se dividiu na hora de decidir pela continuação das investigações contra o Prefeito. Sebastião Ribeiro fez criticas aos dois anos da administração do poeta e disse que o pouco que foi feito, veio de ajuda do governo federal e principalmente do estadual, citando a reforma do hospital.

Inclusive admitiu que o Hospital foi fechado antes da reforma apenas por maldade. Perguntado por que votou pela aprovação das contas de Dinca quando elas foram reprovadas pelo TCE e pela reprovação das contas de Josete quando elas tiveram o aval do mesmo Tribunal, Ribeiro disse que as contas tinhas as mesmas falhas técnicas. Inclusive admitiu que a inclusão de latinha de pitu na merenda escolar nas contas de Dinca, foi também um erro técnico.

Por Anchieta Santos (Rádio Vivo)


Postado em Política | Por

dez 22

22 dezembro 2014

BPM Serviços participa de projeto de inclusão de crianças e adolescentes em Arcoverde

apresentação recente dos alunos

O pequeno Pedro Viana, de apenas oito anos, tem um costume que poucos adultos cultivam: ouvir música instrumental nas horas vagas. Sua irmã Quésia, de onze, é fã incondicional dos Beatles. Os dois ocupam suas horas livres, antes ociosas, aprendendo música na Escola de Música Joaquim Belarmino Duarte, em Arcoverde, Sertão Pernambucano.

alunas do projeto

alunos do projeto

Eles integram o Projeto “Músicos do Futuro”, idealizado e coordenado pelo Maestro Ronaldo Bezerra de Carvalho há 10 anos. O Projeto beneficia 110 crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social. Conta com o apoio da Prefeitura Municipal de Arcoverde e da empresa BPM Serviços, que atua no ramo de transporte. SESC, Rotary Club, Projeto Mesa Brasil e Retífica Arcoverde foram outros parceiros que apostaram na iniciativa.

Maestro Ronaldo, de camisa rosa

músicos do futuro

Quésia, Pedro e a mãe Verônica

As aulas acontecem no contra turno da escola regular. Se a criança estuda de manhã, aprende música à tarde e vice-versa. Os horários das aulas vão de 7h30 às 11h e das 13h30 às 17h30. Os alunos vivenciam cinco módulos: canto coral orfeônico (para estimular a socialização); leitura rítmica e flauta doce; leitura e solfejo (formação de grupos de flauta); iniciação ao violino e instrumento de sopro; e, por fim, a apresentação com a filarmônica da Escola.

No quinto módulo, quando passam a integrar a orquestra, os alunos tornam-se monitores e passam a receber uma ajuda de custo mensal que varia de 100 a 300 Reais. O empresário Anchieta Mascena, proprietário da BPM Serviços, apostou na ideia e se emociona toda vez que assiste as apresentações dos alunos. “É muito gratificante poder ajudar um projeto como esse. Ver que podemos contribuir com mudanças na vida de tanta gente, revelar e patrocinar talentos que, de outra forma, se perderiam nos descaminhos da vida,” avaliou o empresário natural de Afogados da Ingazeira.

O Maestro Ronaldo Bezerra de Carvalho foi aluno da escola e fundador da Associação de Músicos de Sopro de Arcoverde (AMUSA). Está há 18 anos na regência da orquestra filarmônica. Segundo ele, muitos talentos já foram revelados pelo projeto. “Temos alunos que saíram daqui direto para grandes orquestras ou bandas. Temos ex-alunos tocando na Orquestra Super Oara, em bandas como Aviões do Forró, Magníficos, Noda de Caju. Crianças que estudaram conosco, se profissionalizaram, e hoje vivem da música,” afirmou o Maestro Ronaldo.

Além da possibilidade de profissionalização e geração de renda, o Projeto “Músicos do Futuro” também tem possibilitado uma melhoria no aprendizado das crianças. Dona Verônica Viana tem 40 anos de idade e é mãe das duas crianças citadas no início da matéria. Segundo ela, a música tem mudado as crianças. “Hoje eles são mais atenciosos, concentrados no que fazem e tem mais disciplina na realização das tarefas diárias. Até as notas na escola melhoraram,” afirma Dona Verônica.

Prefeitura de Afogados da Ingazeira
Núcleo de Comunicação Social

Publicidade


Postado em Sertão | Por

dez 22

22 dezembro 2014

Publicação reforça avanços obtidos através do modelo de gestão pernambucano‏

Todos por Pernambuco em Tempos de Governança

Com um modelo de gestão eficiente e reconhecido no Brasil e também no Mundo, o Governo de Pernambuco, através de sua equipe, em diferentes áreas de atuação, tem trabalhado para perpetuar o processo de evolução do serviço público estadual. Ao longo dos quase oito anos da atual gestão, diversos estudos foram realizados, através da iniciativa pública, para que Pernambuco se tornasse referência para outros estados e até países. Nesta segunda-feira (22/12), o Governo de Pernambuco, através da Secretaria de Planejamento e Gestão, lançou o livro “Todos por Pernambuco em Tempos de Governança: Conquistas e Desafios”, escrito pelo professor Caio Marini.

 

Também foram apresentados os ‘Cadernos de Gestão Pública’, uma publicação com cinco volumes. “Pernambuco tem um plano de Governo bastante democrático, pois além de ouvir técnica a atual gestão, também buscou informações na sociedade civil”, ressaltou o autor, durante a cerimônia de lançamento, que aconteceu no Palácio do Campo das Princesas, no Recife.

 

“Essa publicação representa a consolidação do nosso modelo de gestão que tanto contribui para o desenvolvimento do Estado. Além disso, estamos deixando um documento que vai garantir a continuidade nesse processo”, disse o secretário de Planejamento e Gestão, Frederico Amâncio, lembrando que, a princípio, serão distribuídos mil exemplares do livro, mas que o conteúdo também tem uma versão eletrônica. Ainda de acordo com Amâncio, o modelo de gestão desenvolvido em Pernambuco foi citado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), na categoria subnacional, destacando a importância dos projetos pernambucanos.  

 

O secretário da Casa Civil, Luciano Vasquez, lembrou que a equipe do Governo sempre esteve envolvida na construção desse modelo de gestão, com a preocupação de fazer a máquina trabalhar com eficiência para o povo pernambucano. “Os primeiros passos foram dados ainda 2007, no início da atual gestão. A partir de agora, temos que garantir que a continuidade das ações”, pontuou o secretário.

Fonte: Secretaria de Imprensa de Pernambuco

Foto: Eduardo Braga/SEI

SECRETARIA DA CASA CIVIL DE PERNAMBUCO

NÚCLEO DE JORNALISMO 


Publicidade


Postado em Notícias | Por

dez 22

22 dezembro 2014

Saiu mais uma edição do Jornal Expresso



Postado em Notícias | Por

dez 22

22 dezembro 2014

Crise hídrica? A Sabesp vai muito bem, obrigado!

Heitor Scalambrini Costa

Professor da Universidade Federal de Pernambuco

O que acontece com o Estado de São Paulo na questão da água é um exemplo do que pode acontecer em outros estados e cidades brasileiras, segundo dados recentes publicados pela ANA (Agência Nacional de Águas). Portanto, aprender e tirar lições deste episódio poderá ajudar gestores públicos e a sociedade a não repetir os erros que foram cometidos, e conviver melhor com uma situação que veio para ficar.

 

A crise hídrica, como ficou conhecida, não ocorreu por uma única causa, ou por um único erro cometido, nem tampouco pela falta de chuvas – mesmo considerando que esta seca é uma das piores dos últimos 84 anos. Na verdade foi um conjunto de fatores que levou a maior cidade brasileira, sua região metropolitana e várias cidades importantes do interior do Estado a sofrerem o desabastecimento de água.

 

A Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), empresa que administra a coleta, o tratamento, a distribuição de água, e também o tratamento dos esgotos, é uma das maiores empresas de saneamento do mundo, e uma das mais preparadas do Brasil – com um corpo técnico altamente qualificado, e dispondo de uma boa infraestrutura. Assim pode-se afirmar sem dúvida que a causa principal de tamanha incompetência foi a sua administração voltada ao mercado, voltada ao lucro, que trata a água, um bem essencial à vida, como uma mera mercadoria.

 

Em 1994, a Sabesp se tornou uma empresa de capital misto, com a justificativa de que vendendo parte de suas ações conseguiria mais recursos financeiros para investir nos sistemas de abastecimento de água e de saneamento. Depois de 20 anos, o controle acionário se encontra nas mãos do Estado, que detém 50,3% das ações (metade negociada na BMF/ Bovespa, e a outra metade na Bolsa de NY), ficando os 49,7% restantes com investidores brasileiros (25,5%) e estrangeiros (24,2%).

 

A Sabesp é a empresa outorgada para utilizar e gerir o Sistema Alto Tietê, Guarapiranga e Cantareira, destinando em tempos normais 33 m³/s para Região Metropolitana de SP. Com a persistência da falta de chuvas e clima adverso, foi obrigada a reduzir pela metade a captação (pouco mais de 16 m³/s), apesar de fazê-lo tardiamente. Assim, o que era considerado um risco remoto tornou-se uma grande incerteza. A situação chegou a um ponto tal de dramaticidade que foi perdido o controle do sistema hídrico e, agora, além da captação do volume morto dos reservatórios, em curto prazo, a população fica na dependência das chuvas. 

 

Em 2012, em documento elaborado pela própria Sabesp para a Comissão de Valores dos EUA, era admitido que pudesse ocorrer diminuição das receitas da empresa, devido a condições climáticas adversas. Assim sendo seria obrigada a captar água de outras fontes para suprir a demanda de seus usuários. Portanto, se conhecia e se antevia uma situação que acabou acontecendo. Porém nada foi feito pela Sabesp para diminuir este risco previsível.

 

Por outro lado, a gestão da crise não visou resolver os problemas da população, mas sim apenas amenizar a responsabilidade da própria Sabesp, blindando o governo do Estado, cujo mandatário estava em plena campanha eleitoral para sua reeleição. Em nenhum momento a gestão da Sabesp ou o governo do Estado admitiram a gravidade da situação. Muito menos a necessidade do racionamento, da diminuição da vazão, sendo ainda negadas pelas autoridades paulistas as interrupções que se tornaram cada vez mais constantes no fornecimento da água. Por isso, o que mais abalou a credibilidade do governo foi a divulgação pela imprensa de uma gravação onde a presidente da Sabesp admitia que uma “orientação superior” impediu, durante a campanha eleitoral, que a empresa tornasse pública a real situação hídrica do Estado. 

 

Todavia, mesmo com a tragédia anunciada, penalizando a população, a empresa e seus acionistas vão muito bem. Basta acompanhar os lucros extraordinários nos relatórios de administração dos últimos anos, que geraram dividendos generosos para os acionistas da Sabesp, ao passo que o investimento necessário não acompanhou a mesma intensidade dos lucros obtidos pela empresa.

 

Esta situação por que passa a população paulista e paulistana poderá se estender a outras regiões do país nos próximos anos, caso persistam a má gestão, o desperdício e a devastação de nossas florestas. É um alerta à questão da privatização dos nossos bens naturais, em particular da gestão da água, do seu controle e distribuição. Daí a premente e essencial participação da sociedade nas políticas públicas para que a gestão das águas alcance resultados positivos, e não simplesmente siga a lógica da maximização dos lucros.


Postado em Notícias | Por

dez 22

22 dezembro 2014

Ginásio poliesportivo de Sítio dos Nunes – a obra que chama a atenção

QuadraPoliesportiva_SítioNunes14

Os trabalhos de construção do ginásio poliesportivo do distrito de Sítio dos Nunes já estão chamando a atenção. O ginásio ocupará um terreno de 1.575 m², e será construído na rua Joaquim Nunes Goes (Vila Maluca) de Sítio dos Nunes e contará com cobertura de alumínio, arquibancada e vestuários. 

 QuadraPoliesportiva_SítioNunes10

QuadraPoliesportiva_SítioNunes11

Os recursos para a construção vieram do FNDE – Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação Básica.

 

Da Assessoria de Imprensa


Postado em Sertão | Por

dez 22

22 dezembro 2014

Estação Central Capiba abre suas portas e revela a memória ferroviária de Pernambuco‏

Museu do Trem

A Estação Central Capiba abre suas portas para a população, nesta segunda (22), no bairro de São José (Recife). O mais novo equipamento cultural do Governo do Estado abriga o requalificado Museu do Trem, que é considerado o primeiro do Brasil e o segundo do gênero da América Latina. Tendo Gilberto Freyre como patrono, o Museu do Trem foi inaugurado em 25 de outubro 1972 e desativado em outubro de 1983. Para marcar a nova versão, o Governo, através da Secretaria de Cultura e Fundarpe, realiza a exposição Chegada e Partida – A Memória do Trem em Pernambuco. Mais de R$ 2,5 milhões foram investidos nas reformas, requalificações e compra de equipamentos da Estação Central Capiba/Museu do Trem.

Com curadoria do museólogo Aluízio Câmara, a exposição reconstrói parte da memória ferroviária de Pernambuco, o que inclui inovações tecnológicas, com ênfase na Revolução Industrial, a qual trouxe mudanças significativas nas relações econômicas, sociais, culturais, entre outras. A exposição também aborda todo o imaginário que envolve as ferrovias, como a relação tempo/espaço, passado/presente, os sons que envolvem essas mudanças no cotidiano das cidades, como o apito do trem, os sinos da estação, e toda uma visão poética que remete aos trens.

A Estação Central Capiba abre suas portas com uma importante exposição para a história de Pernambuco. Pela sua localização central, a expectativa é que receba mensalmente centenas de visitantes, estudantes, pesquisadores, e público em geral, que poderão aprender sobre um importante momento da nossa história. “A chegada deste equipamento é o Estado assumindo mais uma vez o compromisso de valorizar e preservar nosso patrimônio material e imaterial”, comenta o secretário de Cultura Marcelo Canuto.

A Estação Central Capiba passou por diversas intervenções e requalificações até ficar pronta para a montagem da exposição e poder abrir suas portas para o público. Além de reformas na estrutura física, recebeu elevador, gerador de energia elétrica, projetos de climatização, iluminação, expográfico, sistema de combate a incêndio, sinalização bilíngue, cenografia, equipamentos multimídia e câmeras de segurança.

“É uma grande responsabilidade inaugurarmos um equipamento deste porte, tivemos todo o cuidado, pois o Museu do Trem precisa zelar pela importância histórica que sempre teve. Por isso mesmo é uma grande satisfação entregá-lo pronto para a população”, comenta Severino Pessoa, presidente da Fundarpe, instituição responsável pela gerência do novo equipamento.

EXPOSIÇÃO – A exposição Chegada e Partida – A Memória do Trem em Pernambuco ocupa a parte térrea e o primeiro andar da Estação Central. Reúne mais de 500 peças sobre a memória ferroviária pernambucana, como cadeiras, bilheterias, carimbadores, sinalizadores, apitos, relógios, além de fotografias, cartazes, textos e diversos outros aparelhos relacionados no contexto do trem.

Na área externa, o público poderá conhecer carroças e locomotiva a vapor do início do século XX. Uma das melhores máquinas a vapor já construídas, com capacidade de puxar 70 vagões, é um dos equipamentos em exibição. Recursos multimídia também fazem parte da mostra, atualizando e deixando o acervo ainda mais atraente. Logo na entrada, o público tem acesso a um vídeo sobre o museu e a história da indústria do ferro e do trem. Numa outra sala, intitulada O Túnel, o visitante é surpreendido com uma imagem, em 3D, de um trem que sai de um túnel e vem em sua direção.

O espaço abrigará também aulas sobre variados assuntos, tais como a Revolução Industrial, a Arquitetura do Ferro no Brasil e em Pernambuco, O Patrimônio Ferroviário do Estado, entre outros. Neste sentido, o museu atenderá a diversos públicos, desde estudantes do ensino fundamental até alunos de engenharia, por exemplo. O agendamento será feito previamente, por telefone ou no local, e a mediação terá aproximadamente 40 minutos, podendo variar conforme a necessidade.

A exposição Chegada e Partida oferece um panorama temático sobre o universo dos Caminhos de Ferro, uma viagem desde o surgimento da máquina a vapor à construção da história do trem em Pernambuco. “Uma nova oportunidade para o mais antigo Museu do Trem do país reconquistar seu merecido público, recriando e oferecendo aos seus visitantes um mundo de descobertas e encantamento”, diz o curador da exposição, o museólogo Aluízio Câmara.

Serviço:

Inauguração da Estação Central Capiba/ Museu do Trem

Quando: Segunda, às 17hs

Onde: Rua Floriano Peixoto, s/n, São José (Centro do Recife)

Visitação: Terça a sexta, das 9h às 17h. Sábados e domingos, das 10h às 17h

Telefone para agendamento: (81) 3184 3097

Fonte: Secretaria de Cultura de Pernambuco

Foto: Costa Neto/Fundarpe

SECRETARIA DA CASA CIVIL DE PERNAMBUCO
NÚCLEO DE JORNALISMO


Postado em Notícias | Por

dez 22

22 dezembro 2014

Problemas técnicos deixaram cliente sem dinheiro

Problema técnico em dois caixas foram o suficiente para o cliente reclamar em Afogados da Ingazeira, dinheiro tem nos caixas, o problema foi solucionado já cedinho, segundo o gerente do Bradesco.

O final de semana é penoso nas agências da Caixa Econômica e Banco do Brasil, há uma norma do Banco Central para que se abasteça um determinado valor, fim de semana movimentado pode gerar um desconforto, bem melhor sacar antes, fim de ano chegando.

 


Postado em Sertão | Por

dez 22

22 dezembro 2014

Marcelo Pereira paga 13º aos Professores

Marcelo-Pereira-2

O Prefeito de São Jose do Belmonte Marcelo Pereira está em lua de mel com os professores da rede municipal. A 2ª parcela do 13º dos professores da Terra da Pedra do Reino foi paga na última 3ª feira.

 

Por Anchieta Santos


Postado em Sertão | Por

Página 647 de 655« Primeira...102030...645646647648649...Última »